NOSSOS SERVIÇOS

Prestamos serviços de análise de óleo isolante, juntamente com diagnósticos de falhas de transformadores e equipamentos elétricos a mais de 25 anos. Além de óleo mineral realizamos análise de óleo isolante de origem vegetal e silicone.


Segue abaixo um resumo das análises:


• Conjunto dos ensaios físico-químicos para transformadores:


1- Determinação da cor – Norma NBR 14483
2- Determinação da densidade – Norma NBR 7148
3- Determinação da tensão interfacial – Norma NBR 6234 (SOMENTE ÓLEO MINERAL)
4- Determinação do índice de neutralização (acidez total) – Norma NBR 14248
5- Determinação do teor de água – Norma NBR 10710
6- Determinação da rigidez dielétrica – Norma NBR/IEC 60156
7- Determinação do fator de perdas dielétricas – Norma NBR 12133 (à 90ºC)
8- Determinação do ponto de fulgor – Norma NBR 11341 (OBRIGATÓRIO PARA ÓLEO VEGETAL E SILICONE – OPCIONAL PARA ÓLEO MINERAL)
9- Determinação da viscosidade cinemática (40ºC) – Norma NBR 10441 (OBRIGATÓRIA PARA ÓLEO VEGETAL)


Os ensaios físico-químicos do óleo são essenciais para determinarmos se o óleo está no fim da sua vida útil, ou se ele apresenta algum tipo de contaminação que pode influenciar na diminuição da vida útil do equipamento. Determina-se também em que momento deve-se interferir no óleo e realizar uma possível regeneração para recuperá-lo e prolongar sua vida útil.


• Ensaio de extração e análise dos gases dissolvidos no óleo (qualquer tipo de óleo): (Cromatografia gasosa)


1- Determinação dos gases dissolvidos no óleo – Norma NBR 7070
2- Interpretação dos resultados da análise – Norma NBR 7274 – já inclusa (diagnósticos de falhas)


Durante o funcionamento dos equipamentos elétricos alguns gases são gerados no óleo isolante. Alguns são formados naturalmente pelo seu envelhecimento, porém outros são formados em condições específicas de temperatura e descargas de energia. De acordo com o tipo e a quantidade do gás formado é possível diagnosticar se o equipamento está apresentando alguma falha de funcionamento ou pode se prever se alguma falha está se agravando e através disto programar uma intervenção antes que o equipamento falhe.


• Ensaios especiais:


1- Determinação do Teor de Bifenilas Poli-Cloradas (PCBs) – Norma NBR 13882

- Também conhecido como Askarel, foi um óleo muito utilizado no passado e ao longo do tempo estudos comprovaram que ele possui um potencial cancerígeno e também que é um óleo ecologicamente incorreto, visto que não é biodegradável, ou seja, um poluente permanente. Nos tanques de recuperação de óleo mineral e em diversas outras situações este óleo acabou contaminando muitos equipamentos e até hoje ainda encontram-se óleos contaminados, até mesmo equipamentos mais novos onde foi feito troca de óleo, reposição do nível de óleo ou tratamento com máquina termovácuo ou regeneradora contaminada.



2- Determinação de Teor de DBPC (Di-TercButil Para Cresol) – Norma NBR 12134

- DBPC é o inibidor de oxidação mais conhecido, ele é utilizado para prolongar a vida útil do óleo mineral. Ao passar do tempo ele vai sendo consumido e quando chegar num limite muito baixo, ele deve ser readicionado no óleo.

3- Determinação de Teor de DBDS (DiBenzil DisSulfeto) – Norma NBR 16412

- DBDS foi um inibidor de oxidação muito utilizado no passado em um tipo de óleo mineral fabricado pela Nynas porém sob altas temperaturas e principalmente em transformadores selados, este produto gera enxofre que por sua vez ataca o cobre dos enrolamentos causando falha no equipamento.

4- Determinação do Enxofre Corrosivo – Norma NBR 10505

- Este ensaio é utilizado para determinar o potencial de corrosividade do óleo mineral isolante através do enxofre que nele pode estar presente, muitas vezes através do DBDS.

5- Determinação do Teor de Passivador (TTA – Tolu Tri Azol) – Norma IEC 60666

- o TTA é o passivador que é adicionado ao óleo mineral isolante para evitar que o enxofre corrosivo ataque os enrolamentos de cobre. Com o passar do tempo, ele vai sendo consumido e deve-se analisar para determinar quando é necessário repassivar o óleo.

6- Determinação do Teor de Compostos Furânicos – 2-FAL (Furanos) – Norma NBR 15349

- Conforme a isolação sólida (papel isolante) vai sendo degradado ao longo dos anos, acontece através de reações químicas a geração de compostos Furanicos e estes ficam dissolvidos no óleo mineral. Através da concentração destes compostos pode-se fazer uma relação com uma expressão matemática que fornece um valor estimado de grau de polimerização do papel isolante, e assim pode-se prever se ele encontra-se no fim da sua vida útil. O resultado é aproximado mas confiável se o óleo do equipamento não tenha sido trocado ou tratado ao longo de sua vida. E é mais prático do que retirar o equipamento de operação e baixar o óleo para retirar uma amostra do papel para análise.

7- Determinação do Grau de Polimerização do Papel Isolante – Norma IEC 60450

- Consiste em verificar a real situação do papel isolante do equipamento, realizando análise diretamente do papel. Para isto, deve-se desligar o equipamento, baixar o óleo e retirar um pedaço do papel para análise, onde vai se constatar se o papel está ou não no fim da sua vida útil.

8- Análise de determinação do conteúdo de partículas – Norma ABNT NBR 14275

- A contagem de partículas é um ensaio recomendado para ser executado no óleo isolante antes e após o enchimento de equipamentos elétricos com elevada classe de tensão – acima de 138 KV – antes da operação. Também é possível de ser realizado em equipamento que já estão em operação, porém não existem parâmetros nas normas brasileiras, portanto, neste caso, avaliamos o resultado utilizando a norma internacional IEC 60422. O ensaio consiste em determinar a quantidade de partículas de tamanho maior ou iguais a 4 micrometros em 100 mL de óleo.